Av. Paulista, 91 – Cj.706, Bela Vista, São Paulo - SP  |   (11) 3141-0669 | (11) 9 3250-0669 | (11) 97393-3205  |   secretaria@cec.med.br
Infiltração na Coluna

A infiltração (ou bloqueio) na coluna é um método minimamente invasivo para o tratamento de dor na coluna e que pode permitir uma melhora rápida do processo doloroso do paciente. 

Esse procedimento consiste na injeção de medicamentos (corticoides e anestésicos locais) em alguns locais da coluna, com o objetivo de bloquear o estímulo doloroso originado nas articulações da coluna (infiltração de faceta articular) ou nos orifícios onde passam os nervos que se dirigem aos membros (forames).

Com a realização da infiltração, outras metodologias mais agressivas podem ser evitadas, tais como a cirurgia aberta para hérnia de disco, a depender da evolução do quadro de cada paciente.

Imagem 1. Material utilizado para bloqueio. Anestésico local, corticoide, agulha espinhal

Imagem 1. Material utilizado para bloqueio. Anestésico local, corticoide, agulha espinhal

A ação analgésica imediata é proporcionada pelo anestésico local e o efeito a médio e longo prazo, pelo corticoide. Geralmente, o efeito do corticoide inicia em media após 5 dias do procedimento.

Orientações pré-infiltração

Para realizar o procedimento, o paciente deve estar em jejum de líquidos e sólidos por 8 horas. Se você toma anticoagulantes ou AAS diariamente, deve avisar ao médico para programar a suspensão desses medicamentos por alguns dias. Leve todos os exames realizados, principalmente a ressonância magnética da coluna e exames de sangue.

Chegar ao hospital com antecedência de uma hora, com um acompanhante, para os procedimentos referentes a sua internação. O procedimento completo com a sedação e anestesia, leva aproximadamente 30  minutos. 

Utiliza-se o raio-X para guiar a inserção da agulha nas costas até a região onde está a raiz nervosa inflamada. A alta hospitalar ocorre de 3-4 horas após o procedimento.

 

Figura 2. À esquerda, infiltração epidural guiada pelo raio-X. À direita, ilustração esquemática do procedimento.


 


Resultados

Imediatamente após a infiltração, você pode sentir sua perna ou braço amortecido e um pouco pesado, dependendo da resposta do seu organismo ao anestésico. Essa sensação diferente dura por algumas horas após o procedimento e depois passa. Algumas vezes, é difícil prever em quais pacientes haverá um efeito mais positivo. Pacientes que apresentam dor na coluna que irradia para a perna ou braço respondem melhor à medicação do que aqueles que têm apenas dor na coluna. Da mesma forma, pacientes que apresentam início da dor há pouco tempo respondem melhor do que aqueles que têm dor há muito tempo.

Orientações pós-infiltração

Recomenda-se repouso de 2 a 3 dias após o procedimento. Em uma minoria dos pacientes, a dor pode persistir mais alguns dias e pode ser necessário aumentar o período de repouso. 

Riscos e efeitos colaterais

De uma forma geral esse procedimento é muito seguro. Todavia, como qualquer procedimento médico, existem complicações e possíveis efeitos colaterais. O efeito colateral mais frequente é a dor no local da infiltração após o término do efeito do anestésico local. Essa dor costuma melhorar nos primeiros dias. Riscos extremamente raros são dor de cabeça, punção dural, infecção, sangramento e piora dos sintomas. Outros efeitos muito incomuns e temporários são aumento da glicemia e retenção hídrica em decorrência do corticoide.

Contra-indicações ao procedimento

Cada caso deve ser avaliado individualmente, porém algumas contraindicações são: problemas de coagulação, infecção ativa, diabetes descompensado, doenças cardíacas descompensadas e gravidez.

Consulte um especialista da sua confiança para mais informações.