Av. Paulista, 91 – Cj.706, Bela Vista, São Paulo - SP  |   (11) 3141-0669 | (11) 9 3250-0669 | (11) 97393-3205  |   secretaria@cec.med.br
Fusão Lombar Extremo-Lateral – XLIF   

O XLIF é uma abordagem à coluna pela parede lateral do abdome através de um músculo chamado Psoas, que fica na porção lateral da coluna lombar. O XLIF oferece aos cirurgiões e seus pacientes uma opção menos invasiva para a cirurgia da coluna.

O que é um XLIF ?

A não ser que você já tenha estudado anatomia, as maiores chances são de que você nunca tenha ouvido falar do músculo Psoas. Este importante músculo se estende ao longo de todo o comprimento da parte inferior da coluna e é responsável pela estabilidade, flexão e amplitude de movimento da parte inferior das costas e dos quadris.

Por conta de sua localização, também é parte integrante de um procedimento minimamente invasivo de fusão espinhal, chamada artrodese extremo-lateral ou XLIF, que vem ganhando muita popularidade na comunidade científica da Cirurgia da Coluna nos últimos anos.

A abordagem lateral direta para a fusão espinhal permite o acesso à área da coluna a ser tratada ao mesmo tempo que preserva e minimiza os potenciais efeitos danosos sobre os tecidos circundantes, como os músculos paravertebrais, os nervos e os vasos sanguíneos.

O acesso claro ao disco intervertebral, tanto para visualização quanto para o tratamento das vértebras afetadas, é um dos aspectos mais críticos da cirurgia de fusão espinhal. 

Há várias abordagens diferentes pelas quais um cirurgião obtém um procedimento entre os corpos vertebrais. Eles incluem acessar a coluna pela frente do corpo através de uma incisão no abdome do paciente (artrodese lombar anterior – ALIF); acessar a coluna vertebral através de uma incisão nas costas do paciente sobre a linha média (artrodese lombar posterior – PLIF) ou acessar a coluna do lado através de uma incisão na parte de trás lateral do paciente (artrodese transforaminal – TLIF). Os fatores que influenciam a decisão de um cirurgião por qual abordagem incluem a condição vertebral a ser tratada, a sua localização na coluna vertebral, a própria formação e experiência cirúrgica do médico, a tecnologia disponível e a saúde geral do paciente.