Av. Paulista, 91 – Cj.706, Bela Vista, São Paulo - SP  |   (11) 3141-0669 | (11) 9 3250-0669 | (11) 97393-3205  |   secretaria@cec.med.br
Discite

Discite, ou infecção do disco intervertebral, é uma doença inflamatória que afeta o espaço do disco intervertebral, localizado entre duas vértebras. Caracterizada pelo início lento de dores nas costas, a discite é mais freqüentemente observada em crianças menores de 10 anos. No entanto, os adultos também podem desenvolver a doença.

A discite pode ser causada por uma infecção bacteriana ou viral, ou outros processos inflamatórios, tais como aqueles associados a uma doença auto-imune. A condição mais comumente afeta os discos lombares e torácicos em suas porções média e alta.

A discite pode ser muito dolorosa, dor esta que tende a ser agravada pelo movimento da coluna vertebral e que irradia muitas vezes para outras partes do corpo, tais como o abdome, quadris, pernas ou virilha.

Além de dor nas costas, os sintomas das espondilodiscites podem incluir:

  • Febre
  • Calafrios
  • Sudorese
  • Rigidez
  • Fadiga
  • Perda de apetite

As crianças com esta condição podem agir de forma irritada e desconfortável, se recusando a sentar, ficar de pé ou andar.

Para determinar se discite é a causa dos seus sintomas, o médico pode prescrever um ou mais dos seguintes testes:

  • Raios-X – para verificar se há estreitamento do espaço do disco entre as vértebras
  • RNM (Ressonância Nuclear Magnética) – para verificar se há inflamação no espaço do disco
  • Cintilografia óssea – o que pode revelar uma maior captação no local da inflamação
  • Hemograma completo – para verificar se há uma contagem de glóbulos brancos elevada
  • VHS (velocidade de hemossedimentação), PCR (Proteína C Reativa) – para verificar se há uma taxa de sedimentação elevada, indicadores de inflamação

O objetivo de tratar espondilodiscites é eliminar a causa da inflamação e reduzir a dor e outros sintomas. Antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos podem ser prescritos. Repouso no leito e uso de uma cinta lombar para imobilização e suporte da área afetada também podem ser recomendados.

A recuperação total pode ser esperada em casos que envolvam a infecção. Nos casos em que discites se desenvolveram como resultado de uma doença auto-imune, a recuperação vai depender do controle dessas doenças.

Discuta sua condição cuidadosamente com o seu médico, e confie em seu julgamento sobre qual a opção de tratamento é a mais adequada.