Av. Paulista, 91 – Cj.706, Bela Vista, São Paulo - SP  |   (11) 3141-0669 | (11) 9 3250-0669 | (11) 97393-3205  |   secretaria@cec.med.br
Ciática

A dor ciática se refere à dor que começa no quadril e nádegas e continua até o fim da perna, quando uma hérnia de disco lombar comprime uma das raízes que contribuem para o nervo ciático, a saber L4, L5, S1, S2 ou S3. 

Esta condição é muitas vezes acompanhada por dor lombar, o que pode ser mais ou menos grave do que a dor na perna. O termo “dor ciática” indica que o nervo ciático, que viaja a partir da parte inferior das costas por meio das nádegas e na perna, é o responsável pela dor nesta condição.

O desafio para o médico é distinguir entre dor radicular que é causada por uma raiz do nervo inflamado – verdadeira ciática – de outras condições que simulam essa condição, como uma entorse lombar, dor de origem das articulações facetárias (falsa ciática) ou mesmo a síndrome do músculo piriforme e a dor das articulações sacroilíacas.

Quais são os sintomas de dor ciática?

É importante saber que a verdadeira ciática produzirá dor que irradia para além do joelho. Muitas vezes um paciente terá uma história prévia de dor lombar começando alguns dias ou semanas antes de ocorrer a dor na perna. Então a dor na perna torna-se pior do que a dor nas costas e, em alguns casos, a dor nas costas vai mesmo desaparecer completamente.

Muitas vezes, não há um evento traumático ou movimento específico associado ao aparecimento da dor ciática. Outras, movimentos simples como ficar de pé, sentar, levar algum peso ou até espirrar podem agravar a dor. A posição mais confortável tende a ser deitada com os joelhos flexionados. Ocasionalmente dormência, fraqueza e diminuição da função da bexiga ou intestino vão acompanhar ciática.

Como é a dor ciática diagnosticada?

A história completa e o exame físico são uma parte importante do diagnóstico da dor ciática. Testes de tensão da raiz nervosa podem ser usados para confirmar a presença de ciática por tentar reproduzir o desconforto com certos movimentos e posturas corporais. Estes testes são realizados pelo médico e envolvem mover as pernas de forma que se estenda o nervo ciático. Se o doente sente dor durante estes testes, o nervo ciático irritado é a provável fonte da dor.

Como é a dor ciática tratada?

O seu médico será capaz de discutir com você o que significa o seu diagnóstico em termos de opções de tratamento. Terapias não-cirúrgicas como medicação, repouso e fisioterapia são normalmente recomendados em primeiro lugar.

Em um próximo passo o seu médico pode te oferecer a realização de bloqueios nervosos, que são infiltrações de medicamentos anti-inflamatórios potentes sobre o nervo acometido. Esses procedimentos são realizados com anestesia local em um ambiente hospitalar e guiados por imagem, para a completa segurança do processo. O bloqueio é considerado um procedimento ambulatorial, podendo o paciente ir embora para a sua casa poucos minutos após a sua realização.

No entanto, se essas terapias não fornecerem alívio duradouro ou se houver evidência de que a compressão da raiz nervosa está causando dano ao nervo, o médico pode recomendar a cirurgia da coluna. O objetivo da cirurgia é aliviar os sintomas e prevenir mais danos por remoção da fonte de compressão sobre as raízes do nervo espinhal.

Cirurgiões da coluna vertebral executam uma variedade de procedimentos para alcançar a descompressão da coluna vertebral. Ao determinar o procedimento cirúrgico ideal, um cirurgião irá considerar a patologia do paciente, o nível da coluna afetado, o histórico médico do paciente e sua experiência cirúrgica e treinamento.

Os benefícios da cirurgia da coluna, no entanto, devem ser pesados ​​contra os riscos. O cirurgião será capaz de discutir os riscos e benefícios da cirurgia com você, e os resultados prováveis ​​de tratamento cirúrgico e não-cirúrgico.